domingo, 24 de abril de 2011

"Sinto impulsos covardes, assustadiços e escapistas de voltar. Também porque sinto saudade, muita, de tudo. Mas sei que não devo." Caio F. Abreu.




Tudo parecia em ordem… a minha vida perfeita ao lado de alguém que me respeita e diz me amar. Não posso dizer que é o romance ideal, mas há muitas compensações… negligenciei algumas coisas… tipo essa minha vontade louca de viver o novo e descobrir o mundo em um segundo… fiz isso em função de uma estabilidade emocional que receava perder.
Aceitei abrir mão de uma trilha sonora e passar os dias ouvindo os mesmos sons da rotina. Renunciei beijos cheios de prazer por um abraço morno, mas seguro. Deixei passar sem revidar os momentos em que eu queria um pouco mais que simplesmente estar acompanhada… queria calor, entrega!
Acreditei que não se podia ter tudo… amor e paixão juntos? É possível?
E então você apareceu… até agora não sei como veio parar na minha vida, mas o fato é que veio e me deixou desestruturada. Começou a me rondar, me provocar, me atrair e querer provar que eu preciso de muito mais do que isso que estou vivendo agora. A despeito da minha condição, você aposta nas investidas e acredita que pode me fazer mudar de idéia, de destino, de lugar… mudar até o figurino sério por alguns vestidos de verão.
Me cerca, me atiça, me perturba… e eu continuo resistindo! Diz coisas que me assustam… por serem tão verdadeiras tenho medo de escutá-las. Me sabe de cor… me conhece há tão pouco tempo e já me decorou! 
Digo que não quero estragar a minha vida, que estou feliz e consciente do que escolhi, que não vou sair de uma relação calma para entrar em um furação… e enquanto eu falo, você ri… e com o sorriso nos lábios ignora o que ouviu dizendo que eu não engano ninguém com esse texto de novela das oito… diz que eu quero mais, que eu quero as sensações esquecidas, que eu quero a emoção de um coração batendo descompensado a cada encontro… que eu quero viver um grande amor.
Disfarço para não permitir que você perceba o quanto me conhece e o quanto lê os meus pensamentos e sentimentos. Me calo… fujo! Me escondo onde você possa me achar, pois no fundo não te quero longe.
Você explode! Reclama que está cansado de tentar me trazer para os braços da felicidade e que eu recuso por seguir protocolos, lendas e receitas de bolo. Vai embora me classificando de medrosa e diz que se enganou a meu respeito… afinal, depois de tudo o que fez e provou eu não tive coragem de abandonar a minha vida em preto e branco. Portanto não devo ter mesmo nenhum interesse por você.
E eu que me encontro perdida entre medo, vontade, prudência, desejo, paixão, loucura, confusão e indecisão… te vejo ir embora sem saber que estou tudo, menos desinteressada.

3 comentários:

Catarine Heiter disse...

Olá.. fazendo uma visitinha e convidando para participar do sorteio de cupcakes do www.mastigandoemsalvador.blogspot.com
Aproveite que é somente para Salvador e regiao!

Carol Daimond disse...

Adorei o blog! O perfil muito sincero, excelente!
Passa depois pra fazer uma visita. Beijooo
Carol

Flor de Maio disse...

Oi Flor de Liz,
Adorei o texto e sua maneira especial de escrever.
Cheguei até voce atraves do Blog da Aline e gostei muito do seu cantinho!
Bjs :)

Postar um comentário

Faça um Blogueiro feliz, comente! rsrs ♥
Obrigado amores pelo carinho sempre constante.